Saiba onde consultar a tabela do INSS de 2019

2

A Tabela do INSS é uma tabela muito importante e muito usada hoje em dia porque dá uma padrão para o pagamento de imposto. Afinal, todo trabalhador tem que pagar o imposto ao INSS para ter direito à benefícios, como a aposentadoria.

Aliás, o INSS é o Instituto Nacional do Seguro Social, um órgão que é ligado ao Governo Federal e organiza e gerencia vários benefícios, como aposentadorias e pensões. Abaixo, saiba como consultar a tabela do INSS e entenda mais sobre as alíquotas e pagamentos.

Atualmente, os meios de comunicação online são os mais usados porque são mais ágeis. Por outro lado, o consumidor, contribuinte ou cidadão pode também usar o telefone, gratuitamente. Para dúvidas, portanto, ligue no 135.

Onde consultar a tabela do INSS

O jeito mais confiável para saber qual é a tabela de pagamentos mensais do INSS neste ano, de 2019, é através do site do INSS. Por lá dá para acessar informações importantes sobre os benefícios, tabelas, valores e alíquotas.

PROPAGANDA

Por exemplo, a primeira informação que se tem é sobre o pagamento. “Até dia 15 do mês seguinte àquele que se refere à contribuição”.

E sobre a tabela também há informação. “Poderá ser usada para consulta sobre as faixas de salários e alíquotas incidentes para cálculo de contribuição”.

Assim, há duas tabelas: para empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso e outra para contribuinte individual ou facultativo.

Trabalhador Individual ou Facultativo

Se você trabalha com carteira assinada, saiba que entra na opção mais tradicional de contribuintes, que são os trabalhadores, domésticos e avulsos. Se não, saiba que também pode pagar à parte. E é aqui que entra os individuais ou facultativos.

A diferença entre eles é que o contribuinte individual é aquele que trabalha por conta própria ou presta serviços para outros. Já o facultativo é aquele que não desenvolve trabalhos, podendo ser estudantes ou donas de casa, por exemplo.

Quais os valores das alíquotas

Dessa forma, os trabalhadores empregados, assim como domésticos e avulsos, tem uma alíquota de 8% para quem recebe até R$ 1.751, 9% para quem ganha entre R$ 1.751 e R$ 2.919 e, por último, 11% para quem tem renda de R$ 2.919 até 5.839.

Já os contribuintes individuais e os facultativos tem outros valores, que na verdade são fixos e não alíquotas. Por exemplo, quem recebe até um salário mínimo (R$ 998) vai pagar aí R$ 49,9. O que na teoria dá 5% e não dá direito à aposentadoria por tempo.

O mesmo vale para quem quiser pagar mais, equivalente à 11%. Nesse caso, o valor é de R$ 109,78 e também sem direito à aposentadoria por tempo. Por último, quem ganha acima do salário mínimo até R$ 5.839 pode pagar 20%, isto é, entre R$ 199 e R$ 1.167.

Todos esses valores são indicados na tabela do INSS, que fica no site indicado acima.

Os cuidados

Também é no site do INSS que dá para ter acesso à outras informações importantes. Por exemplo: quando o empregado tiver mais de um trabalho, as remunerações serão somadas para o enquadramento na tabela do INSS.

E, outra coisa é que quando se tem o pagamento da remuneração relativa ao 13º salário, ele não será somado à remuneração mensal.

PROPAGANDA