7 dicas inovadoras para abrir uma sorveteria que venda muito

16

A Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (Abis) fez um estudo que mostrou que o volume de litros de sorvetes saltou de 686 milhões em 2003 para 1 bilhão em 2016. Obviamente, houve um crescimento significativo.

Por isso, dá para ver que há sim motivos para abrir uma sorveteria nos dias de hoje. Ou dá para criar pontos chaves e diferenciais para começar a vender mais. Por isso, criamos este conteúdo.

E vale lembrar mais coisas aqui: o Brasil é, hoje em dia, o 10º maior produto mundial de sorvetes e somos o 11º maior consumidor do produto. E tem mais: tem surgido novos mercados, como o premium, gourmet, orgânicos e veganos.

Então, se você está estudando esse mercado, confira abaixo 7 dicas inovadoras para você começar a estudar desde já e levar em conta na hora de buscar o sucesso financeiro da sua sorveteria.

PROPAGANDA

1 – sem lactose

Uma boa ideia de negócio para quem tem uma sorveteria ou vai abrir uma sorveteria é pensar nas opções de produtos sem lactose. Pode parecer impossível fazer sorvete sem lactose, mas saiba que dá sim e no Brasil, inclusive, isso dá retorno.

E por que isso pode ser bom para você? Primeiro porque é um mercado que ainda tem pouca concorrência e outro motivo é que cada vez mais tem surgido pessoas com tolerância à proteína do leite, a lactose.

Então, se há mercado e pouca concorrência, então, isso pode ser bom para você, não acha?

Aqui, o grande segredo é estudar as várias possibilidades de fabricação. É preciso ter muito cuidado com os ingredientes que se usa e também com o prazo de validade de cada produção.

2 – sabores diferenciados

Outro diferencial que se pode ter é pensando nos sabores. Atualmente, há uma grande gama de produtos diferenciados para sorvetes, além dos famosos chocolate, morango e creme.

Dá para pensar em frutas exóticas, por exemplo. Ou até mesmo em receitas novas e originais. Dá para unir o sorvete com outros produtos, como os chocolates ou adicionar ingredientes, como castanhas ou outros.

Apostar nos sabores diferentes é uma boa ideia. Mas, é preciso testar, sempre. Porque é preciso ver se dá retorno e analisar o custo de cada novo ingrediente que será usado.

Atualmente, por exemplo, as opções com frutas vermelhas estão sendo muito bem vistas. Mas, por enquanto, ainda tem um custo mais alto aqui no país. O jeito é pesquisar e fazer testes atrás de testes.

3 – qualidade do produto

A qualidade do produto desde sempre é um fator motivador para ter clientes novos e manter os antigos, né. Não adianta nada você inovar em sabores, se você perder a sua qualidade.

Note que cada vez mais as sorveterias tem deixado de lado os produtos que fazem mal à saúde ou que tiram o gosto do produto e substituído isso pelos produtos de qualidade, como o leite, por exemplo.

O público está cada vez mais exigente e isso quer dizer que preferente qualidade do que a quantidade. Inclusive, esse é o tema do próximo tópico, continue lendo.

4 – porções menores

Você já notou que muitas sorveterias tem vendido copinhos ou casquinhas menores? Afinal, estamos falando da qualidade do produto, se lembra?

Então, o novo público não quer comer até passar mal, na verdade, eles querem saborear o produto. Portanto, pense mais qualidade do que na quantidade.

Com isso, crie opções em quantidades menores, mas que seja focado na qualidade ou na variedade dos sabores.

5 – regionalização

Essa é uma dica do Sebrae e é muito boa. O público novo está preocupado também com a procedência de cada produto e ingrediente. Sabendo disso, uma boa ideia é pensar na regionalização do seu produto.

Pense em frutos do cerrado, da Amazônia, da mata Atlântica ou tipicamente brasileiros, por exemplo. Pode ter certeza que o seu público vai começar a ver você com outros olhos.

A ideia é dar mais valor ao produto regional. “é possível criar sabores com características regionais” e isso vai agregar muito valor para o seu negócio.

6 – formatos

Essa também é uma dica do Sebrae, que fala sobre os formatos dos produtos. Se antes a gente tinha apenas a “bola” e o “picolé”, hoje a gente tem como criar formatos diferentes.

Seja o sorvete em potes ecológicos, seja o sorvete em pratos, junto com outros alimentos, no copo sustentável, para comer de colher, junto com chocolates e aí vai.

Essa é a ideia de “diferenciação”, que nada mais é do que promover a versatilidade do produto, com misturas novas, sabores diferentes, embalagens sustentáveis e formatos especiais.

7 – delivery

Por último, temos aqui um verdadeiro desafio. Você já pensou em entregar sorvetes em casa? Sim, com o tanto que se fala em entrega grátis, dá para pensar em entregar sorvete também e antes que ele derreta, obviamente.

O grande estudo que se faz é quanto ao armazenamento do produto, mas sem que se perca a qualidade dele. Demanda, a gente sabe que tem sim. Agora, vai ser preciso investir, pesquisar, inovar e criar aí um novo mercado.

PROPAGANDA