6 dicas para aproveitar piscinas naturais e fazer seu dinheiro valer a pena

5

Anualmente, milhares de brasileiros viajam rumo às piscinas naturais no Nordeste do país. Essas piscinas naturais são aqueles lugares que tem águas cristalinas, de onde é possível fazer mergulhos para olhar os peixes e tudo o que tiver debaixo d’água.

O que nem todo mundo sabe, no entanto, é que tem alguns fatores podem favorecer a viagem ou acabar de vez com ela. E é, justamente, sobre isso que a gente vai falar neste conteúdo que você está acompanhando.

Mas, e o lance do dinheiro? Calma aí. Estamos falando de viagens, de paisagens, de turismo… E tudo isso envolve dinheiro, não é mesmo? Por isso, entre as dicas há aquelas de finanças, que é importante para o planejamento da viagem e orçamento financeiro.

1 – As passagens aéreas

Em qualquer viagem que você vai fazer será preciso contabilizar no orçamento os custos do deslocamento. Seja de avião, de trem, de barco, de ônibus, de moto, de carro.

Geralmente, quando se fala em nordeste do país, a maioria das pessoas optam por viajar de avião. E, portanto, a dica é sobre passagens aéreas.

Considere que as passagens para o nordeste são umas das mais caras no Brasil. Logo, você vai ter que encontrar boas promoções e descontos para economizar dinheiro com isso.

Uma ideia legal é se cadastrar no site da companhia que você vai realizar o seu voo, como a Gol, a Latam, entre outras.

2 – A fase da lua

Outra forma de pensar financeiramente na viagem para uma praia ou um destino paradisíaco como são as piscinas naturais do nordeste é considerar a fase da lua.

Nesse período em que você vai passear em um destino com piscina natural, o importante é saber a ação da maré, as represas, recifes… E isso tudo faz sentido na fase da lua.

Por exemplo, vamos explicar para ficar mais fácil de entender: na lua cheia e na lua nova a oscilação da maré é mais radical e isso significa que a água vai entrar ainda mais afundo.

Isso é bom? Isso é ótimo porque as pessoas vão ficar com maior visibilidade.

Então, essas luas são as melhores para fazer uma visita às piscinas naturais. Entendido? E o lance de perder dinheiro seria você ir na lua minguante ou crescente…

Isso porque o passeio ficará muito menos bonito e pode ser que as piscinas naturais nem se formem.

3 – As hospedagens

Se você considerar a lua, ótimo porque vai ter mais chance de ter um passeio incrível. Agora, considere também a sua hospedagem.

O motivo é que, independente da fase da lua, se for alta temporada você vai pagar mais caro, indiscutivelmente. A saída é estudar os preços e as opções que existem e estão disponíveis.

Leve em conta a forma de pagamento, o número de hospedes, se é um lugar para pets, se tem garagem, café da manhã incluso, entre outros serviços que podem tornar a hospedagem um ótimo custo-benefício para você.

4 – As réguas das marés

Agora, mais um ponto interessante para estudar quanto ao aproveitamento da viagem para qualquer uma das piscinas naturais do país.

Quando você chegar ao destino, tem uma segunda missão para você: consultar a tábua das marés para saber qual vai ser o melhor horário do dia para fazer esse passeio até as piscinas naturais.

O pico mais baixo da maré, que é o pico mínimo, é aquele que é o ideal para fazer o passeio. Tá?

Ele acontece todos os dias em horários diferentes.

Então, todos os dias é importante consultar a tabela ou a tábua das marés – isso vale muito a pena para não perder o passeio.

Aliás, se possível visite as piscinas quando o nível da maré estiver entre 0,1 e 0,3. Esse é o ideal. Já o máximo aconselhável é 0,5. E se possível faça visita quando o sol estiver bem alto, como no fim da manhã ou no início da tarde.

5 – O roteiro da viagem

É verdade que nem sempre dá para organizar um roteiro de viagem que será seguindo de forma totalmente correta. Imprevistos acontecem e todo mundo sabe disso.

Agora, quando a pessoa se compromete a criar um roteiro de viagens, inclusive, pensando em piscinas naturais, fica evidente que o aproveitamento da viagem tende a ser melhor.

Isso é bom porque dá para separar o dinheiro de cada passeio, dá para somar o valor que será gasto e também porque permite se planejar para chegar aos locais com antecedência, por exemplo.

Por exemplo, tem que chegar na piscina cerca de 1 hora antes por que se não, a maré volta a subir e não vai dar para ver a água transparente.

Então, crie um roteiro e se programe para isso. Entendeu?

Considere também o tempo necessário para ir de barco ou de jangada até a piscina, caso ela não esteja na beira da praia, por exemplo.

6 – Os mergulhos e os cuidados

Como estamos falando de piscinas naturais, outro detalhe é quanto aos equipamentos.

Mesmo em tempos nublados ou de difíceis visões, é possível fazer mergulho com snorkel. Verifique se passeio oferece a máscara de snorkel ou se você vai ter que levar sua antes.

Se você nunca fez um mergulho com snorkel antes, pratique antes para não perder tempo nas piscinas também.

Com o grande número de turistas que todos os anos vão para as piscinas naturais, uma dica super importante é que você não encoste e não pise e não faça nada nos corais. Tá bom?

Isso vai evitar que você se machuque e também vai proteger os próprios corais.