Controle das Finanças – aprenda como dividir o seu salário entre os gastos do mês

3

Fazer o controle das finanças da família é uma atividade que pode ser legal, mas sempre gera aquela dorzinha de cabeça. Isso porque temos que definir prioridades. Onde será que podemos gastar mais ou menos. O que dá para cortar. Tudo isso tem que ser questionado.

A ideia deste conteúdo é te ajudar a encontrar algumas ideias para essas perguntas. Reservar 10% para montar uma poupança, por exemplo, é altamente recomendável.

Mas, e o restante do salário, para onde vai? Lazer tem sua porcentagem, assim como os gastos domésticos, educação, saúde… Abaixo, temos uma ideia de como você montar o seu controle de finanças para dar as devidas prioridades ao seu salário.

10% para a reserva

A reserva de emergência é uma coisa que todo mundo deveria ter, mas pouca gente tem. Obviamente, ela só vai parecer ser mesmo importante quando é necessária.

Só que você tem que considerar que muita coisa desagradável pode acontecer em algum momento da vida. Ninguém sabe, por exemplo, quando vai ficar doente, quando vai sofrer um acidente ou quando vai precisar arrumar a geladeira.

São coisas que acontece quando menos esperamos – por isso, chamamos de imprevistos.

E aí, do ponto de vista financeiro, o que é inteligente de se fazer é reservar, ao menos, 5% do salário para esses gastos, que são imprevisíveis e acontecem com todo mundo.

Você pode achar que o valor é bem pouco, afinal, 10% do salário não vai dar muita coisa. Só que no longo do tempo, você vai ver que o valor vai ser suficiente para custear os imprevistos da vida.

Inclusive, se você tiver sorte de eles não acontecer de forma tão constante.

10% para a aposentadoria

A aposentadoria é um momento que hoje em dia é muito aguardado por muita gente. Se passou aquela época em que se aposentar significa ficar vendo TV, tomando remédios e comendo sopas.

Hoje em dia, com o envelhecimento da população, a aposentadoria pode ser o melhor momento para aproveitar a vida.

Por isso, uma boa ideia é ter condições de se auto custear nesse momento da vida. É claro que o governo pode ajudar, com a previdência social. Mas, depender única e exclusivamente dele, é burrice.

O ideal é você ter condições de não ficar a mercê do governo. Por isso, monte a sua reserva para a aposentadoria.

E você não precisa de muito, está bem? Reserva, mensalmente, 10% do seu salário para o seu futuro, para quando se aposentar.

5% para o lazer

Você, como todo ser humano da Terra, precisa de lazer. Não trata-se de uma questão de luxo, mas de necessidade mesmo.

Agora, claro que o quanto você gasta com o lazer ou quais são as suas recreações é que vai fazer a diferença no seu orçamento.

Quer se divertir no fim de semana? Então, nada de ficar jogando golfe ou praticando esgrima por aí. Até mesmo o tênis, hoje em dia, é um lazer caro.

Mas, de fato, você tem opções mais econômicas e que podem ser tão prazerosas quanto esses esportes.

Você tem amigos e tem família? Então, você tem tudo o que precisa para se divertir gastando pouco.

A gente sabe que não existem regras, mas vamos supor que dê para usar 5% do salário para o lazer, está bem?

75% para gastos essenciais

Ok, a gente ajudou você a entender algumas prioridades que se deve ter na vida. Como o lazer, a aposentadoria e a reserva.

Agora, como vamos dividir os outros 75% para os gastos essenciais? Isso vai depender de você e da sua família, do que é prioridade para vocês.

A gente pode criar aqui uma ideia de como será essa divisão, no entanto, cada família tem os seus gostos, o que acha melhor e mais conveniente.

Apenas para que você entenda isso, saiba que em algumas cidades do país, o ensino escolar público é ótimo, o que faz com que os pais não tenha gastos com esse item.

Por outro lado, tem lugares onde os alimentos são bem caros, aí, o gasto com o mercado vai ser maior do que as outras partes do país.

E tem ainda, a questão do salário. Quanto menor o salário, mais cortes, reajustes e escolhas devem ser feitas.

Por isso, o importante é entender que você tem 75% do seu salário para os gastos ditos essenciais. E aqui você pode incluir contas de água, de luz, de telefone, de internet, de canais de TV, de escola, de alimentos, de vestuário, etc.

Obviamente, vai depender do que é importante para você.

Exemplo

Para que você tenha uma ideia disso, separamos um esboço, isto é, uma ideia de como pode ser feita a sua divisão.

A alimentação, geralmente, tem gastos elevados por conta dos variados tipos de alimentos e por ser, de fato, essencial. Então, podemos pensar em algo como 30% do salário.

Aí, tem os gastos domésticos, que incluem: telefone, TV, internet, água, luz. Aqui, algo como 20% de todo salário.

E aí, ficam sobrando apenas 25%. Disso, você tem que tirar 5% para vestuário, por exemplo. E os outros 20% podem ser investidos na saúda e na educação.

Note que o grande problema é dividir a prioridade entre educação e saúde. Afinal, será que é melhor ter um plano de saúde ou pagar a escola particular para o filho?

Essa é uma questão que não precisaria ser resolvida se no Brasil, os serviços públicos fossem mais adequados.

De qualquer forma, cabe à você decidir o que é melhor, o que é prioridade.