Descubra por que investir o seu capital de giro

1

Você sabia que todo empresário tem motivos para investir o capital de giro? Calma, se você não sabe o que é um investimento financeiro ou um capital de giro, fique tranquilo porque vamos explicar passo a passo abaixo.

O mais importante é considerar que essa é uma opção totalmente viável para o seu negócio porque pode te ajudar com o ganho de juros e com a proteção do seu dinheiro. Isso já é bom por si só, mas ainda tem o fato de que dá para resgatar quando quiser.

Bom, para resumir a conversa, abaixo separamos vários tópicos interessantíssimos para você ficar sabendo sobre como investir o capital de giro da sua empresa. Acompanhe.

O que é capital de giro?

O capital de giro é aquele dinheiro que toda empresa, de todo porte, precisa ter para fazer o negócio girar. Na administração, é tido como fator fundamental para o desenvolvimento positivo da empresa.

PROPAGANDA

Há pesquisas que mostram que empresas que não investem ou não tem capital de giro tendem a ir para o fracasso mais rapidamente. Ao contrário, quem tem o recurso acaba encontrando formas de inovar e ter lucro ao longo do tempo.

Basicamente, em poucas palavras, o capital de giro é um dinheiro que é como se fosse uma reserva de emergência para uso imediato. A ideia é custear a empresa enquanto os lucros não chegam para fazer isso.

Por exemplo, enquanto você recebe pela venda e tem que pagar o seu funcionário, o capital de giro pode ser usado para fazer esse movimento e essa espera entre um e outro.

O que é um investimento financeiro?

Um investimento financeiro é um tipo de produto e de aplicação onde o investidor empresta o seu dinheiro e recebe um juros por isso. É uma forma inteligente que se tem para ganhar dinheiro nos dias de hoje.

No Brasil, existem muitas opções de investimentos financeiros, com várias características e para vários perfis de pessoas. Têm aqueles que são mais seguros, da renda fixa e os mais arrojados, da bolsa de valores.

Tem aqueles que não exigem valor mínimo para investimentos, tem os que são assegurados pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), pelo Tesouro Nacional ou ainda tem aqueles que rendem conforme a Selic, conforme o CDI, conforme o IPCA.

São as variações aqui no Brasil e isso é bom porque dá mais flexibilidade para o investidor escolher o que é melhor para ele.

Por que investir o capital de giro?

Existem vários motivos comprovadamente positivos para quem está interessado em investir o seu capital de giro. Um deles é justamente a segurança dos recursos, que estarão aplicados. Vamos explicar isso de um jeito simples.

Os títulos públicos são seguros pelo Tesouro Nacional. Já os títulos dos bancos, quase sempre, são seguros pelo FGC, que é o Fundo Garantidor de Crédito. O FGC dá uma garantia de até R$ 250 mil para cada pessoa em cada banco.

Além da segurança, investir o capital de giro também é bom porque algumas opções de aplicações permite o que é chamado de liquidez diária. Isto é: o investidor e empresário pode sacar o dinheiro quando quiser, na hora que quiser.

Considerando a segurança e a liquidez diária, ainda temos uma terceira vantagem de se investir o capital de giro, que é o ganho de juros mensal. Considere que as aplicações, todas, têm rendimentos e isso é melhor do que não ganhar nada, não é?

Onde investir o capital de giro?

Agora que você conhece várias vantagens de se investir o capital de giro, resta saber onde fazer isso exatamente, não é mesmo? É importante considerar que, como falamos anteriormente, tem muitas opções disponíveis no mercado atualmente.

E aí, cabe ao investidor e empresário estudar aquela leque é melhor para ele. Por exemplo, todo mundo está acostumado com a poupança. Realmente, é melhor deixar o dinheiro lá do que na conta corrente.

Mas, há alguns pontos negativos da poupança. Por exemplo, ela só rende a partir do 13º dia. Portanto, para um fundo de reserva ou para o capital de giro, ela não é indicada. Além disso, o rendimento dela é baixo, sendo de 4,5% ao ano.

Aí, a partir disso, dá para pensar em opções mais lucrativas, como os CDBs com liquidez diária dos bancos. Essas são opções com a mesma garantia e ainda possibilita os saques diários. Logo, acabam sendo bem mais vantajosas.

Os cuidados com os impostos

Praticamente todos os investimentos citados aqui neste conteúdo tem impostos. Só que tem exceções. De forma geral, vamos falar de como eles funcionam, mas não deixe de pesquisar sobre o seu produto mais especificamente.

O imposto de renda segue uma tabela regressiva, que começa em 22,5% e vai até 15%. Mas, esse imposto é cobrado sobre o rendimento e não sobre o que foi investidor. É por isso que o investidor sempre ganha alguns juros.

Também tem o IOF, que é o Imposto sobre Operações Financeiras. O IOF só é cobrado quando a aplicação não fica superior aos 30 dias. E aí ele também tem uma tabela, que vai diminuindo com o passar dos dias. Ele também incide sobre os rendimentos.

Agora, é preciso ter cuidado porque alguns bancos ainda fazem a cobrança de taxas, como de administração e isso pode interferir ainda mais no seu lucro.

A dica, portanto, é ficar de olho nas taxas e nos impostos. Aí, o melhor jeito é justamente simular as opções que existem no mercado para saber qual vale mais a pena para o seu negócio. O fato é que investir sempre rende bons frutos.

PROPAGANDA