Confira esses 7 problemas de se gastar mais do que se ganha

9

Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas deveria. Existem certos problemas de se gastar mais do que se ganha que são realmente críticos. Algumas pesquisas têm indicado que isso pode causar doenças, como a depressão, por exemplo.

Só que não se trata apenas de doenças. Quando a gente tem um consumo maior do que a nossa renda, isso resulta em dívidas também, Afinal, a gente sempre vai ficar no vermelho, né. Agora, vamos analisar outras causas que essa má gestão financeira pode trazer.

1 – Endividamento

Sem dúvidas, a primeira grande causa é o endividamento. Como falamos, não tem erro: a conta não bate. Quando se ganha menos do que se gasta, aí as dívidas aparecem.

E o problema sempre vem acompanhado de nomes como “cheque especial”, “rotativo do cartão de crédito” e “taxas de juros”. E é justamente isso que acaba fortalecendo as dívidas. Porque uma conta baixa pode ficar bem alta se você não quitar até o vencimento.

PROPAGANDA

Se você concorda que o endividamento não é bom para ninguém, então, tome um primeiro cuidado ao fazer a sua gestão financeira.

2 – Divórcios

É isso mesmo: o problema das dívidas e financeiros são considerados um dos mais frequentes nos divórcios do nosso país. Em recentes pesquisas, a causa ficou como sendo a 2ª, atrás apenas das traições.

Logo, para quem quer evitar separações, manter um controle financeiro é um passo importante nesse processo. Isso vale tanto para a falta de controle como para o controle excessivo, viu. Então, equilíbrio é a palavra-chave!

3 – Hora Extra

Mais um dos problemas de se gastar mais do que se ganha tem a ver com a hora extra. Essa mesmo do trabalho. Sabe essa ideia de ter que ficar uma hora a mais no trabalho para recuperar o tempo perdido, pois é. Isso não dá muito certo.

E a real necessidade de fazer isso para quitar as contas e aumentar a renda pode trazer problemas para a família como um todo. Seja na falta de atenção para um filho ou mesmo na hora de manter a relação com o companheiro.

4 – Insônia

Isso também está provado em alguns estudos mais recentes do exterior. Quem tem contas a pagar ou dívidas altas acaba tendo problemas com as noites, que ficam sendo mal dormidas ou não dormidas, né.

Aí, a partir disso, nasce outros problemas bem comuns, como a falta de produtividade no trabalho, problemas de saúde crônicos e agudos, além de dores nas vistas, nos ombros e até mesmo de cabeça.

5 – Doenças

E já que falamos em doenças, saiba que alguns dos problemas de se gastar mais do que se ganha resultam em casos graves de depressão, ansiedade e angústia.

E isso porque a gente nem citou aqui, ainda, a questão da alimentação. Pessoas com dívidas ou contas atrasadas podem comer mais, por ansiedade ou comer de menos, por nervosismo. Ambos são bem ruins.

6 – Infelicidade

A infelicidade é um dos pontos que também são comuns na vida de quem não tem limites e regras financeiras. Assim sendo, elas se sentem incapazes de realizar sonhos, como viagens de fim de ano ou mesmo assistir a shows em outros países.

Portanto, comece a ver essa questão, das finanças pessoais e familiar, como importante até mesmo para a sua felicidade e da sua família.

7 – Imprevistos

Por último, vale citar ainda que quem gasta mais do que ganha tem problemas ainda maiores quando os imprevistos surgem. E, você sabe, todo mundo tem ou vai ter imprevistos na vida. Eles podem ser simples, como um pneu furado ou sérios e graves, como doenças raras e até mesmo acidentes.

Portanto, como vimos em todos os tópicos e especialmente neste, a questão da organização financeira é fundamental para uma vida saudável. E isso inclui estar preparado para o pior também.

6 métodos de controle financeiro para reduzir os gastos mensais

Aprenda a viver um nível abaixo

Para terminar este texto, vamos falar de uma coisa que talvez seja a solução para tudo isso que citamos acima. Para você evitar dívidas, obviamente, você tem que gastar menos do que você ganha. É aquela conta simples, de adição e subtração.

Mas, como é que a gente consegue isso? Existem dicas, técnicas e métodos para serem usados. Só que tem uma coisa que não costuma falhar, nunca. É a ideia de viver sempre um nível abaixo do que o seu orçamento permite.

Também é fácil fazer essa conta: se você tem um rendimento mensal de R$ 2 mil, o que deve fazer? Viver como se tivesse uma renda de R$ 1,8 mil. E o restante, os R$ 200? Eles devem ser poupados em uma conta ou poupança.

Eles servem para imprevistos. E serão importantes para você evitar os problemas citados acima. Isso porque, se você juntar R$ 200 mensalmente vai chegar em uma hora que vai ter uma reserva financeira. E isso faz toda a diferença para evitar os imprevistos, evitar as brigas de casais, evitar as noites mal dormidas, etc.

E, dessa forma, a gente termina dizendo que não é complicado juntar o seu próprio patrimônio. O que vai ser usado para evitar todos os problemas que são causados pelas dívidas ou contas no vermelho.

Você só precisa ter um pouco mais de dedicação e esforço para sempre viver um nível abaixo do que o seu orçamento permite.

A reserva financeira

E, para fins de curiosidade, considere que a reserva de emergência ou reserva financeira não tem um valor certo para ser juntado. O ideal é que se tenha aquilo que torne possível custear a sua vida por alguns meses. Mas, independente do valor, o ideal é que se tenha esse dinheiro guardado para evitar os problemas citados aqui.

PROPAGANDA