10 dicas para terminar o ano sem dívidas

16

Vai chegando o final do ano e o que a gente mais deseja para o próximo ano é prosperidade na vida, não é mesmo? Mas, o ano ainda não acabou e você pode terminar ele de uma forma muito melhor: sem dívidas e bem perto de realizar os seus sonhos.

Abaixo, nós separamos algumas dicas interessantes sobre como você pode terminar o ano bem, sem dívidas. Diferente do que a maioria das pessoas pensa isso é mais simples do que parece.

Pequenas mudanças de hábitos, como anotar gastos ou falar com a família, pode fazer a diferença. Saiba mais.

1 – os gastos

A anotação dos gastos é importante em todo momento da sua vida financeira. Desde quando se tem uma dívida ou quando não se tem, também.

PROPAGANDA

Isso porque é somente com essas anotações que se vai ter uma ideia exata de como ter controle sobre as finanças. Quem não sabe onde gasta, como gasta e quanto gasta não vai conseguir evitar ou quitar as dívidas.

Por isso, esse é o primeiro passo.

2 – os objetivos

O segundo passo mais importante para terminar o ano sem dívidas é ter metas e objetivos financeiros para os próximos anos, independente se forem de curto, médio ou longo prazo.

Aliás, se você tem dívidas no seu nome, essa pode ser a sua primeira e mais importante meta. Se não tem, saiba que dá para pensar em viagens, compras e aposentadoria, por exemplo.

3 – o orçamento

Se você sabe quanto você gasta, quanto você ganha e quais os objetivos, aí fica mais fácil montar a sua planilha financeira, não é mesmo?

É só alinhar tudo isso e ver quanto precisa juntar de dinheiro para isso ou para aquilo. Ou ver em quantas parcelas termina de pagar o seu empréstimo, por exemplo. Essa organização financeira é fundamental para quitar dívidas ou evita-las.

4 – trabalhe com a família

Trabalhar com a família não é algo como montar um negócio familiar. Na verdade, a ideia é outra: é você inserir todos os participantes da sua família nos seus projetos e estar inserido nos projetos deles também.

Isso é importante para o crescimento financeiro saudável de todo mundo. E todo mundo tem que saber quanto se tem de renda, de gastos e concordar com os objetivos gerais. É preciso a participação de todos para dar certo.

5 – os custos

Agora, você tem que começar a eliminar alguns custos que tem para que consiga alinhar os objetivos com a renda da família. Possivelmente, você terá que fazer adaptações e fazer cortes necessários também, por isso, a família toda tem que participar.

Isso tem a ver com diminuir o serviço da TV e da internet? Sim. Mas também tem a ver com apagar as luzes de ambientes vazios, tomar banhos mais rápidos, usar menos vezes o ferro de passar, evitar o ar condicionado e por aí vai.

6 – a renda extra

Outra dica muito legal para dar um up no orçamento financeiro da família é optar pelas rendas extras, que podem ser conseguidas durante trabalhos alternativos aos finais de semana, às noites ou na internet, por exemplo.

Mesmo quem já trabalha pode fazer isso. E quem ainda não tem emprego fixo, também. Apesar de não darem direito à alguns benefícios, essas formas de trabalho garantem uma boa ajuda financeira às famílias no Brasil todo.

E sempre há boas alternativas também.

7 – a negociação

Se você tem alguma dívida, então, um próximo passo muito importante é fazer a negociação porque deixar os juros queimar lá não é nada legal. A ideia de negociar vale a pena porque vai te permitir pagar a conta conforme o seu orçamento.

Dá para renegociar e pagar em várias vezes, por exemplo. E só o fato de você pagar o primeiro boleto já pode tirar o seu nome da inadimplência. E aí a sua vida começa a melhorar no âmbito financeiro como um todo.

8 – selecione as dívidas

E um ponto chave sobre as dívidas é conseguir selecionar aquelas que são prioritárias. Por exemplo, as contas essenciais sempre devem vir primeiro, como água e energia. Depois, tem aquelas dos financiamentos de imóveis e carros.

Em seguida, do cartão de crédito e cheque especial porque são bem caras. E aí, por último, as dívidas não essenciais, que são gastos como com eletrônicos ou roupas.

Uma boa ideia a ser estudada é juntar todas as dívidas em uma só, mais barata. Como? Você faz um empréstimo novo, com taxas menores e que seja suficiente para quitar todos os seus débitos.

9 – evite as compras sem necessidade

Agora, mais do que nunca é hora de evitar as contas sem necessidade e aqui entra uma lista enorme de coisas. Eletrônicos, roupas, tênis e tudo mais que não tem necessidade imediata de ser comprado agora.

Aliás, compras de presente de natal? Isso até pode ter o seu valor afetivo, mas a sua dívida é que pode prejudicar a sua vida. Então, pense nisso. E prefira pagar o que está devendo.

10 – faça auto avaliações

A última dica é sobre sempre fazer auto avaliações. Isso não tem que acontecer apenas quando você está endividado ou nos finais de ano. Todo momento é época de fazer contas e análises para ver para onde o seu orçamento e da sua família está indo.

Use sempre aquela técnica de incluir a família nessas reflexões. Planeje junto, crie metas juntos e faça acontecer, todos juntos. O seu sucesso e o da sua família dependem de todos, que podem economizar, juntar, investir e viver felizes com pequenas mudanças.

PROPAGANDA