Saiba como diferenciar os gastos mensais

17

Você já parou para pensar que tem muitos gastos todos os meses? Agora, já parou para pensar quais deles são importantes? E quais podem ser minimizados? E quais podem ser cortados? E quais são extremamente essenciais? A verdade é que é preciso pensar nisso tudo para saber como diferenciar os gastos mensais.

Considere que, por exemplo, você tem aquele tipo de gasto que é obrigatório de ser pago. Aí, depois você lembra da prestação da casa e do carro. Tem ainda o valor dos seguros, né. Mas, e o gasto com o seu tênis novo ou a troca do chuveiro em casa, como que ficam? É preciso pensar nisso tudo, amigo.

Abaixo, a gente fez uma espécie de seleção de tudo o que você precisa pensar sobre como diferenciar os gastos mensais. A ideia é bem simples: trazer aqui uma análise (fria e calculista) sobre as prioridades. Afinal de contas, é preciso ter prioridades na vida financeira também.

Os gastos prioritários

Os gastos prioritários são aqueles que, obviamente, precisam ser pagos, não é mesmo? E aqui a gente tem o que muita gente chama de gastos essenciais também. De qualquer forma, devem estar no topo da sua lista.

PROPAGANDA

E como diferenciar os gastos mensais pensando nos prioritários? Eles são aqueles que tem a ver com algum produto ou serviço que é primordial na sua vida. Por exemplo, você precisa de água e alimento para sobreviver, não é verdade? Então, são prioritários.

Além da água e alimentação, ainda temos a prestação da casa, que é onde você mora, né. O restante vai depender muito do que você considera importante e essencial.

Tem gente que inclui aqui a prestação do carro, que é um meio de transporte. Ou do convênio médico, que é da área da saúde. Aí, vai depender de você saber o que é essencial na sua vida ou não. Mas, cuidado para não exagerar, combinado?

Os gastos importantes

Para nós, a prestação do carro, do plano de saúde e outros não entram nos prioritários e sim nos importantes. Porque eles são importantes, mas você conseguiria viver sem eles. Entende? Não é como a água, que se você não beber, você morre.

Se você tiver sem carro, por exemplo, dá para ir trabalhar de ônibus ou a pé. Apesar de ser algo totalmente incomodo e cansativo, é possível. Então, é importante sim, mas não é essencial.

E nessa lista, que pensamos, tem a prestação do carro, tem o plano de saúde e tem algumas coisas da área da educação também. Como a escola dos filhos ou o curso de inglês, por exemplo. Eles são importantes para o seu crescimento profissional ou dos seus filhos.

Controle das Finanças – aprenda como dividir o seu salário entre os gastos do mês

Os gastos da comodidade

Agora, aquilo que não é essencial e nem é importante é visto como comodidade. O motivo é que eles não são tão imprescindíveis assim, só que acabam facilitando a sua vida. O que é um perigo porque, quase sempre, eles são altos demais.

Então, o que você considera como um gasto cômodo? Esse é um ponto bem interessante para se pensar na hora de diferenciar os gastos mensais. Afinal, eles pesam no bolso, mesmo que estão abaixo da lista do que é realmente importante para sua sobrevivência.

Aqui temos, por exemplo, o pacote de telefonia que você tem no celular. Com certeza, se você estudar vai ver que tem como baratear isso para um plano mais básico. E a mesma ideia vale para o combo da TV com a internet que você tem em casa.

E além dos serviços, a gente ainda pode citar alguns produtos. Tem gente que tem um vídeo game super caro e só joga 2 vezes ao ano. Tem que tenha uma TV de plasma LCD LED de 200 polegadas e só vê filmes no computador. E por aí vai.

Comece a estudar o que você tem em casa e nem usa tanto… Geralmente, são apenas comodidade. O que é bem ruim quando a gente quer ter um orçamento financeiro mais adequado e mais positivo.

Os gastos com investimentos

Se é um investimento, obviamente, que não é um gasto e sim um investimento. Mas, o que muita gente esquece é que deveria fazer investimentos mensais. Por isso, existe uma porcentagem que deve estar na lista de gastos mensais de toda família.

Se você ainda não faz isso, comece a diferenciar os gastos mensais incluindo os investimentos. E para fazer isso do jeito certo, pense em criar objetivos para tais investimentos. Eles podem ser para a aposentadoria, viagens, troca do carro, etc.

Os pequenos gastos

Por último, a gente trouxe os pequenos gastos porque eles se confundem com os gastos com lazer. Os gastos com lazer são importantes sim. Tanto é que na nossa visão entram nos gastos importantes: todo mundo tem que ter lazer na vida, você não acha?

Só que o cuidado está em não transformar os pequenos gastos em lazer o tempo todo. Por exemplo, você acha aquele café da padaria incrivelmente bom. Ok. Mas, você realmente tem que ir lá tomar todos os santos Dias da sua vida? Deixe isso para os momentos especiais.

Comece a ver que R$ 5 em um dia pode ser pouco. Mas, se você criar esse mal hábito de ir tomar café fora de casa diariamente, no fim do mês isso vai dar R$ 150. E também pode parecer pouco, né. Só que no fim do ano, vai passar dos R$ 1 mil. E aí faz diferença.

Faz diferença porque R$ 1 mil é um salário mínimo, né. É muita grana para ser desperdiçada assim. Então, a dica é tomar cuidado com esse tipo de gasto, que é pequeno, mas faz um estrago bem grande.

PROPAGANDA